VIABILIDADE

1180 photo Viabilidade1180.jpg

sexta-feira, 25 de maio de 2012

O Revenue Management


Gerenciamento de Receitas (Revenue Management)

A gestão de receitas é uma função através da qual se pretende maximizar as receitas de um negócio, utilizando estratégias e tácticas que permitam identificar micro-segmentos de mercado, otimizando-se a disponibilidade do produto e o seu preço, para cada um dos segmentos identificados. Esta função é, por isso, uma forma sofisticada de gestão da oferta e da procura, através da manipulação do preço e da gestão da capacidade disponível. Existem diversos autores que referem que a aplicação de um programa de gestão de receitas ajuda as empresas a vender o produto certo, na altura certa, ao cliente pretendido e ao preço certo.(Se partirmos o princípio simplista destes autores, ainda fica a pergunta – como se chega nisso?)
Os programas de gestão de receitas começaram a ser desenvolvidos no final dos anos 80, especialmente em empresas hoteleiras “a Mariott” e companhias aéreas, tendo o seu uso conduzido à obtenção de resultados bastante positivos. Por exemplo, a American Airlines apresentou, num período de três anos, benefícios de 1,4 biliões de dólares, correspondentes a um aumento de 4 a 5% nas receitas globais, devido à implementação de um sistema deste tipo.

Por outro lado, é tipicamente referido em diversos estudos que a correta implementação de um sistema de gestão de receitas produz 3 a 7% de receitas adicionais, sendo o custo desta implementação muito reduzido quando comparado com os benefícios resultantes da sua aplicação. Mais recentemente, no sector do turismo, a utilização destes sistemas tem-se expandido a outras empresas, sendo de destacar as da área da restauração, eventos e do aluguer de viaturas. Por exemplo, a Hertz Rent a Car indicou um aumento médio de 5% nas receitas de cada automóvel alugado devido ao seu programa de gestão de receitas.

Características das empresas com programas de gestão de receitas
Este tipo de programas tem sido implementado nas empresas referidas, porque o negócio apresenta algumas características particulares, que as tornam apropriadas para aplicação das técnicas e ferramentas utilizadas em programas de gestão de receitas. Assim, estes sistemas são adequados para empresas que apresentam:
capacidade finita (por exemplo, um hotel tem um determinado número de quartos disponível para vender, um restaurante tem um determinado número de lugares...);
stocks perecíveis (no caso de um hotel os quartos não vendidos em determinado dia não podem ser aprovisionados);
micro segmentos de mercado com diferentes sensibilidades ao preço;
procura variável e incerta;
produtos que podem ser vendidos ou reservados antes do consumo;
baixas razões custos variáveis versus custos fixos, por vezes o aumentar a capacidade de serviços de Restaurantes e ou Buffets,não aumenta proporcionalmente seus custos, ou melhor nunca aumenta..
Um programa de gestão de receitas para ser implementado com sucesso deve ser focalizado no preço de venda e não nos custos, porém... Para equilibrar a oferta e a procura, deve substituir o preço baseado no custo pelo preço baseado na procura do mercado, deve reservar uma quantidade suficiente do produto para os clientes de maior valor, deve explorar o ciclo de valor do produto e deve reavaliar continuamente as oportunidades para gerar receitas.
Vários estudos mostraram que um aumento do volume de vendas ou do preço de venda tem um impacto maior na rentabilidade de um negócio que a redução dos custos. Geralmente, uma redução de 5% nos custos aumenta o lucro em 3%, enquanto um aumento de 5% no volume de vendas ou no preço de venda resulta num aumento do lucro de 20 e 50%, respectivamente. Mesmo assim, muitas empresas, para otimizar o lucro, continuam a desenvolver sistemas baseados na redução de custos e não nos ganhos de receitas.(Cada um escolhe o que sabe, ou entende por bom)
A base de aplicação dos programas de gestão de receitas
Na prática, a aplicação desta função implica definir os preços do produto de acordo com os diferentes níveis de procura, de tal modo que os clientes mais sensíveis ao preço e que estão dispostos a comprar ou reservar o produto quando a disponibilidade é maior (ou a procura menor), o possam fazer a preços mais baixos; pelo contrário, clientes menos sensíveis ao preço que pretendam comprar ou reservar o produto em momentos de disponibilidade baixa (ou procura elevada) também o poderão fazer, mas a um preço mais elevado.
A lei da oferta e da procura, a sensibilidade ao preço que os clientes apresentam e a disponibilidade do produto, são por isso, a base de aplicação de um sistema de gestão de receitas.
Há que atendermos para o fato de que mercados estão para nos servir, então grande parte do que eles nos trazem, depende apenas e tão somente de como os tratamos e como nos posicionamos no meio deles.
A sensibilidade ao preço é medida pela elasticidade, que indica a variação percentual da procura quando o preço varia em 1%. Utilizando a teoria económica associada a estes conceitos, pode afirmar-se que o aumento de 1% no preço de venda vai provocar uma redução na procura que em termos percentuais é igual ao valor da elasticidade. Isto significa que, quanto maior é a sensibilidade ao preço, menor é a procura, quando se verifica um aumento desse preço. Por este motivo, um hotel vende usualmente os seus quartos a segmentos de lazer (clientes mais sensíveis ao preço) a um preço inferior ao que vende ao segmento de negócios (clientes menos sensíveis ao preço). Da mesma forma, os restaurantes e casas de eventos teem o seu publico segmentado ou pelo menos devem ter e a diversos segmentes se aplicam várias faixas de preço. (Isto é uma técnica que passamos em cursos de RM)
Um programa de gestão de receitas utiliza, por isso, como estratégias principais a discriminação do preço e a gestão da capacidade disponível, utilizando conceitos como o overbooking, as restrições ao uso e ao tempo de utilização do produto. Por exemplo, as companhias aéreas oferecem uma variedade de tarifas aos seus clientes, algumas com bastantes restrições, ao contrário do que acontece com a tarifa máxima. Estas últimas estão associadas a estadias em que não é obrigatório passar o fim de semana no destino - os bilhetes podem ser adquiridos em qualquer altura, sem penalizações de cancelamento, etc. As tarifas mais baixas, pelo contrário, estão sujeitas a todas estas restrições. O desafio consiste em identificar correlações entre os preços de reserva de diferentes segmentos de mercado e as suas preferências em alguns dos atributos do produto. Se a empresa conseguir identificar estas correlações, então pode definir preços diferentes para diferentes níveis desses atributos, permitindo ao cliente que este compre o nível do atributo que pretende.
Métodos e técnicas
Os métodos e técnicas adoptados num programa de gestão de receitas podem ser extremamente sofisticados, como aqueles que são utilizados atualmente em empresas hoteleiras e companhias aéreas, ou podem utilizar-se aproximações mais simples como algumas desenvolvidas por hotéis no final dos anos 80. Quando os hotéis começaram a adoptar técnicas deste tipo utilizavam um gráfico de controle da procura, no qual se representava a procura esperada para determinado período em função do número de dias em que a reserva era efetuada. Se para determinado dia o hotel recebia mais reservas que o esperado, a procura era considerada elevada e o desconto no preço dos quartos reduzido ou eliminado. Pelo contrário, quando o hotel recebia menos reservas que o esperado, eram lançadas campanhas promocionais e descontos no preço para tentar aumentar a procura. No início dos anos 90, o Holiday Inn utilizava uma variante interessante desta técnica, classificando a procura em hot, warm e cold. Os gestores eram encorajados a desenvolver estratégias e tácticas para lidar em determinado momento com o correspondente nível de procura.
Os métodos utilizados atualmente podem como já se referiu ser bastante sofisticados e têm como base modelos de previsão e optimização, utilizando conceitos de probabilidade, que são desenvolvidos com base nas novas tecnologias de informação. Existem vários tipos de software disponíveis que podem ser utilizados para efetuar previsões e simulações. Estes permitem analisar os dados históricos da empresa para identificar segmentos de mercado, para prever a procura e para identificar ações que permitam maximizar as receitas. As simulações com optimização são cada vez mais utilizadas neste processo, já que permitem modular a influência de diferentes níveis de preço e de procura no volume de receitas.
No âmbito do seminário de ferramentas de apoio à tomada de decisões do MBA, utilizam-se exemplos de alguns sistemas deste tipo, implementados em empresas de hotelaria e turismo. O desenvolvimento e análise dos modelos que permitem otimizar as receitas, é efetuado com várias ferramentas informáticas de previsão e simulação disponíveis no mercado, sendo de realçar os métodos de Monte Carlo.
Entenda porque o Revenue Management não é para qualquer um:


Ø  Revenue Management  Não É PARA TODOS
Ø  Revenue Management  é uma Cultura
Ø  Revenue Management  é uma filosofia de Gestão
Ø  Revenue Management  é estatística e matemática
Ø  Revenue Management  é uma prática diária e continua
Ø  Revenue Management  é muito analítico e pouco comercial
Ø  Revenue Management  é pragmatismo e assertividade
Ø  Revenue Management é por si só o inicio e o fim de toda a Política / Modelo de negócio Hoteleiro como um todo e como tudo, tem um início, mas neste caso não tem fim.
Ø  O Revenue Management não depende do Gerente Comercial, nem do gerente de Marketing, não tentem reinventar a roda REVENUE MANAGEMENT é de Obrigação e atribuição do Gerente Geral, Diretor de Operações, ou Administrador. (Desde que estes sejam realmente profissionais, conhecedores do sistema e não de ferramentas isoladas). Mas não podem nem devem esquecer os outros Gerentes e respetivo “staff” em todo o processo.

É necessário e imprescindível que seja definido certo respeito pelo Revenue Management como uma ferramenta de gestão, eficiente, Crítica e fundamental para o $uce$$o do negócio.

Ø  Revenue Management é uma prática que tem que ser o início de tudo e para que as coisas sejam realmente positivas, ele se inicia e nunca termina. (entendam um coisa, se eu for iniciar hoje a construção de um Hotel, junto com a primeira pedra, e início o processo de RM e este nunca mais para)

Conclusão
Como conclusão, importa referir que o sucesso de qualquer programa de gestão de receitas depende do compromisso e do apoio da alta direção da empresa, bem como do envolvimento e participação de todos os recursos humanos no desenvolvimento, implementação e controle do programa. Quando uma empresa implementa um sistema de gestão de receitas, está a adotar uma nova perspectiva sobre a forma como o seu negócio será conduzido. Este processo implica uma mudança significativa no foco da empresa, o que enfatiza a importância de planejar atentamente cada elemento do programa. O grau de sucesso a atingir com o mesmo dependerá do esforço efetuado nesta fase inicial.




NOSSO MEGA EVENTO EM SALVADOR 
28 e 29 de SETEMBRO em até 18 X - Programe-se.

terça-feira, 15 de maio de 2012

preços e controles entre profissionais

Vendo o assunto que foi publicado sob o título, Custos para o frigobar, lembrei-me de um artigo que tenho em meu blog, e cujo assunto é custos,embora segmentado. Enquanto o empresário não souber, exatamente quanto precisa realizar para pagar suas despesas diárias, o “Barco” fica à deriva.
Fala-se da necessidade de reduzir preços para enfrentar a concorrência, de cobrar preços exorbitantes para compensar o descompensado, e nada disso funciona é tapar o sol com a peneira.
O que é preciso que se entenda de uma vez por todas, é que um Hotel, assim como qualquer outra empresa tem custos fixos, estes precisam ser conhecidos e a partir deles traçar estratégias de operação e venda que o tornem aquilo que ele tem que SER. UM EMPREENDIMENTO RENTÁVEL.
Há muitos anos eu afirmo e provo a quem quiser, não existe hotel deficitário, existe hotel com a administração mal estruturada. Há hotéis que pela sua estrutura, “modus operandi” ou localização teem o seu público alvo, cuide-se dele, trabalhe-se para ser o Melhor com esse público nunca esquecendo que, o Público ninguém engana, você engana uma vez, duas, e depois “a casa cai” e cai sobre seus ombros e levantá-la por vezes torna-se tão dispendioso que é melhor liquidar. E partir para outro Ramo.
Ou Seja, Qualidade e serviços nos levam ao TOPO… Administração custos e controladoria nos tornam rentáveis, e porque não dizer Ricos.
O Assunto preços do mini bar, está diretamente ligado à falta de Administração consciente e sustentável.

"JULIEN: – EMPrezado Rui,
Sua colocação é muito pertinente.
São poucas os empreendedores que sabem fazer a hotelaria. Muitos tÊm o dinheiro para investir, mas na hora de fazer dar $$, é um desastre. Nessas horas, é bom estarmos atentos para dar consultorias.

obrigado por dividir seus conhecimentos.
Abraços Julien"

Minibar
Necessita de um departamento especifico, pois a expectativa dos hóspedes são muito altas no respeito a reposição podendo um mau serviço gerar muita insatisfação.
Todos os custos inerentes a uniformes, equipamentos, folha de pagamento e o treinamento para qualificação devem ser computados no custo assim como de qualquer outro departamento.
O estoque tem que ter um espaço adequado e as compras bem programadas com dinheiro pago na frente antes do hospede consumir . O custo deste dinheiro “parado”deve ser computado.
Um minibar pode dar uma perda de ate 20% mensal por não cobrança, Hospede recusando a conta controle de estoque sem levar em consideração do first in first out pode dar uma perda de ate 10% do investido por perda de produtos por vencimento de validade.
Para uma cobrança efetiva deve se investir num software que no minimo hoje vale R$80.000,00 reais mais computador mais manutenção do sistema .
Deve se ter em conta uma pequena margem para produtos que não irão ter aceitação e não irão vender e para alguns que podem estragar .
O investimento em produtos caros e importados como água panna, evian ou outros encarecem devido as taxas .
A colocação de produtos no minibar não é nunca aleatória devendo fazer parte de um estudo mercadológico e do segmento de seu hotel . Envolvendo ai programação visual e confecção de cardápios. que envolve custos .
Atualização deve ser anual envolvendo estudo dos mais vendidos retirando os “dogs” e refazendo o cardápio.
ufaa tem muito custo nisto ai não é gente e ainda depende de crise etc..etc.. e tem que manter a consistencia independente dela. Há não desanimem há uma série intermináveis de custos a embutir que não estão aqui relacionados, para isso nossos cursos de controladoria e finanças.
Minibar é uma venda por impulso e deve ser apresentado como se fosse uma bonita prateleira de um shopping que envolve custo também.
Eu particularmente adoro é uma grande ajuda de receita para mim.

SUCESSO - TERCEIRIZAÇÃO NUNCA PROFISSIONALIZAÇÃO URGENTE

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Próximas paradas e alteração de Programação

O que é Revenue Management?  É a arte de maximizar lucros, tendo por base a demanda de mercado, as previsões e otimização de resultados, com base em cálculos matemáticos, econômicos e (de inventários.)


O que o Revenue Management pode fazer por sua empresa?
Não, não é tirado do Google são os resultados dos últimos dois hotéis com que me envolvi um eu mesmo gerenciei os 14 meses e o outro eu prestei consultoria em RM. Isso implica em dizer que os números são reais. Há só duas coisas que tenho que confessar: 1ª foi o melhor resultado da minha carreira - 2ª eu nunca gerenciei um hotel por um ano que o gráfico de resultados não fosse nessa configuração. - E ambas as afirmações são verdadeiras, só que eu nasci com o RM me formei nas primeiras turmas que tiveram essa disciplina e nunca deixei de praticá-lo, não sei como se gerencia um hotel sem esta prática, mas sei os resultados que dá. um gráfico cheio de altos e baixos que também é real e não é de um e sim de 8 hotéis. Este gráfico a 1ª figura deste link, mostra que os mercados mandam nos gestores e JAMAIS um mercado manda nun real gestor que tenha conhecimento e pratique o Revenue Management. Não, esses sistems automatizados que se intitulam "revenue management sistema" e que nada mais são que ferramentas com alguma utilidade mas altamente restritas.
Revenue Management é uma disciplina séria que eu pediria por favor vamos aprender a RESPEITÁ-LO.

Vamos voltar a Araxá onde tivemos que adiar o curso a pedido de pessoas que não podiam faze-lo na data que programamos.
*******************************************************
Em função da agenda de alguns  participantes chegamos a um consenso e Vitória vai ficar para data a Anunciar no início de Junho.
*******************************************************
Estamos em Salvador já com data remanejada em função da ABAV. dia 21 de Maio Salvador promete ser um Grande sucesso Lá vamos nós.
=================================
Em que pese Revenue Management ter as suas características específicas, ele envolve em um momento ou outro TODAS AS ÁREAS do Hotel e Embora seja, ao contrário do que dizem os leigos pouco Comercial. Se não soubermos mexer com os mercados não temos receitas para gerenciar. Logo, em nossos cursos, há momentos de TÉCNICAS AVANÇADAS DE VENDAS.


Escolha o seu, prepare-se para estar conosco. Dia 28 de Junho faremos São Paulo. Mas se preferir consulte-nos pois podemos fazer o curso "In company" prática que trás algumas ventagens.
Investimento: R$:- 450,00
Inscrições pagas até 14/05/2012 - 375,00
** Empresas com mais de um participante desconto 20%